Voltar
08/10/2018| Efeitos da desobstrução rinofaríngea na obstrução nasal e na condição da orelha média em crianças menores de três anos com infeção do trato respiratório superior

 



 

Foi neste sentido que um grupo de investigadores, liderado pela Prof.ª Doutora Ana Silva Alexandrino, do Departamento de Fisioterapia da Escola Superior de Saúde do Politécnico do Porto, desenvolveu um estudo que teve como objetivo analisar o efeito de um protocolo de intervenção de desobstrução rinofaríngea na obstrução nasal e na condição da orelha média em crianças menores de três anos com infeção do trato respiratório superior. O estudo foi publicado na Acta Otorrinolaringológica Española.
Os investigadores levaram a cabo um ensaio controlado randomizado numa creche do Porto, que inclui 44 crianças randomizadas para Grupo Intervenção (GI) e Grupo Controlo (GC). A ausculta nasal e timpanometria foram realizadas no início do estudo (M0) e após a intervenção (M1), que consistiu de irrigação nasal (NaCl a 0,9%) seguida de inspiração nasal forçada no GI, e após 30 minutos de atividades normais, no CG.
No grupo M1, houve menor frequência de crianças classificadas com obstrução do som nasal no GI, quando comparado ao GC (GI = 33,3%; GC = 68,4%; p = 0,042). Os investigadores observaram também uma melhora da pressão média de pico (PP) no GI (orelha esquerda: M0 = −124daPa; M1 = −92daPa; p = 0,022 | orelha direita: M0 = −102daPa; M1 = −77daPa; p = 0,021), o que não foi observado no GC (orelha esquerda: M0 = −105daPa; M1 = −115daPa; p = 0,485 | orelha direita: M0 = −105daPa; M1 = −131daPa; p = 0,105). Não houve resultados significativos quanto à complacência da membrana timpânica.
Assim, o estudo concluiu que a desobstrução rinofaríngea melhorou a obstrução nasal e a pressão de pico do ouvido médio de crianças menores de três anos com infeção do trato respiratório superior.  
Foram ainda autores deste estudo as Dr.ªs Rita Santos e Cristina Melo, do Departamento de Fisioterapia da Escola Superior de Saúde do Politécnico do Porto, do Dr. David Tomé, do Departamento de Audiologia da Escola Superior de Saúde do Politécnico do Porto, do Prof. Doutor José Mesquita Barros, do Centro Hospitalar do Baixo Vouga, e do Dr. Guy Postiauxe, do Departamento de Cuidados Intensivos e Serviço de Pediatria do Grand Hôpital de Charleroi (Bélgica).
http://myotorrino.pt/atualidade/item/277-efeitos-da-desobstru%C3%A7%C3%A3o-rinofar%C3%ADngea-na-obstru%C3%A7%C3%A3o-nasal-e-na-condi%C3%A7%C3%A3o-da-orelha-m%C3%A9dia-em-crian%C3%A7as-menores-de-tr%C3%AAs-anos-com-infe%C3%A7%C3%A3o-do-trato-respirat%C3%B3rio-superior.html

 

Fonte texto e imagem: News Farma

Voltar