Voltar
08/01/2018| Consórcio do Porto quer integrar elite europeia da investigação oncológica

Esta integração poderá levar à atribuição de fundos para investigações na área da Oncologia e à partilha de ideias, metodologias e boas práticas.
O consórcio portuense é constituído por grupos de investigação do Instituto Português de Oncologia (IPO) Porto e do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde da Universidade do Porto (i3S) e pode, assim, vir a juntar-se a seis instituições internacionais - Gustave Roussy Cancer Campus Grand Paris, Cambridge Cancer Centre, Karolinska Institutet, NKI - Netherlands Cancer Institute, Vall d’Hebron Institute of Oncology e o German Cancer Research Center como National Center for Tumor Diseases (DKFZ-NCT) Heidelberg.
Em declarações à agência Lusa, o presidente do conselho de administração do IPO-Porto, Dr. José Laranja Pontes, avançou que esta integração poderá levar à atribuição de fundos para investigações na área do cancro e à partilha de ideias, metodologias e boas práticas com as seis instituições que já integram a associação. “O Porto.CCC é um prestador de cuidados de saúde de grande volume, que tem integrado no tratamento a componente de investigação clínica, translacional e básica, num padrão muito elevado”, indicou.
Já o Prof. Doutor Manuel Sobrinho Simões, diretor do Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto (Ipatimup) e membro da comissão directiva do i3S, citado em comunicado de imprensa, considera que o consórcio constituído por instituições do Porto constitui “uma parceria que faz todo o sentido” já que o IPO-Porto “é muito bom” nos cancros da próstata, bexiga, rim e linfomas, enquanto o Ipatimup, e agora o i3S, é uma “referência mundial” nos cancros do estômago e da tiróide e outros órgãos endócrinos e neuroendocrinos. Além disso, partilham “créditos nos cancros colorretal e de mama”.
Reconhecido formalmente em 2011, com a acreditação da Organização Europeia do Instituto do Cancro, o “Porto.CCC” engloba, atualmente, mais de 600 pessoas ligadas à investigação e conta com 24 grupos de trabalho em diversas áreas da pesquisa oncológica, de acordo com os dados divulgados.
Notícia completa em http://www.myoncologia.pt/pessoas-servi%C3%A7os/743-cons%C3%B3rcio-do-porto-quer-integrar-elite-europeia-da-investiga%C3%A7%C3%A3o-oncol%C3%B3gica.html

 

Fonte Texto e Imagem: News Farma

Voltar